Juntos

Como já perceberam, adoro falar sobre patrocínios e ativações de marca que acho legal…

O Banco Santander é o detentor do “namming” da Copa Libertadores  – Copa Santander Libertadores.

Ano passado, com um início de promoção ainda discreto, o Santander lançou a promoção que era postar um vídeo de até um minuto de duração demonstrando a sua paixão em jogar junto com seu time.

Esse ano, eles voltaram com a promoção, já com “apoio” de algumas mídias, o Lance! e a rede Bandeirantes.

Não consegui os detalhes da promoção, mas ao que entendi é que um torcedor de cada um dos times vai ter a oportunidade de acompanhar todos os jogos do time, enquanto o mesmo estiver classificado, participar de programas esportivos da Band, uma coluna no Blog do Lance!

Enfim, muito bacana a promoção, mas ainda acho muito pouco, aliás, não vi grande divulgação da promoção, eu mesmo, só fiquei sabendo pq acompanho o twitter do Lance!, muito restrito, não acham? E quem não tem twitter?

Ainda acho que uma marca que é detentora do nome do campeonato mais importante das América, falta muita divulgação, falta muita ativação da marca. Eu sou cliente Santander, e não sabia da promoção…

Paixão

Após a eliminação do meu time da Libertadores, muitos poderiam pensar que eu não ia escrever sobre isso.

Mas, venho aqui escrever um outro olhar sobre o jogo da última quinta-feira. O olhar torcedor apaixonado, que cantou e gritou e pulou e torceu e jogou junto com o time nos 90 minutos, em uma quina-feira muito fria em São Paulo.

Quem nunca foi a um estádio de futebol assistir um jogo, recomendo que vá, só quem vai sabe a emoção que é estar lá diante de mais de outras 50.000 pessoas cantando e torcendo junto. Muitos me falavam que eu era louca de ir no estádio, mas naquele dia, naquela hora, me considerava uma privilegiada.

A emoção é única. Nessa libertadores eu fui em praticamente todos os jogos que o triciolor jogou no morumbi, e quando não estava jogando bem, a torcida apoiava, pedia raça, chamou por Tele Santana (sei que devo um post sobre ele, em breve), mas quando jogou com raça, com vontade de ser campeão a torcida também esteve lá presente.

Saimos do jogo vitoriosos no resultado mas perdedores na competição, mas a torcida mais uma vez se saiu vitoriosa, aplaudindo e cantando o hino do tricolor.

Durante o jogo tirei algumas fotos, para mostrar como é lindo ver o estádio cheio, todos ali pela mesma razão, e o momento de “explosão” ao ver um gol.

Minha visão da arquibanca –

Antes do início do jogo – A bandeira da Independente

Momento pós gol, o estádio “iluminado”

Selecionei também um vídeo (por favor não reparem na péssima cinegrafista que sou), mas acho que o vídeo vale mais do que eu ficar aqui escrevendo tentando descrever a emoção de estar no estádio.

Enfim, queria dizer que apesar do time não ter conseguido seu objetivo final, que não era apenas vencer o jogo, mas se classificar para a final, a torcida que lotou o estádio fez toda a diferença. Imagino como deve ser para os jogadores ver aquele estádio lotado, a torcida apoiando. Lindo, lindo!

Então fica meu convite à todos que visitam meu blog: Independente do seu time, vá ao estádio, vá cantar com a torcida, e mulheres principalmente vocês, estádio não é só coisa de homem!

Clube da Fé

Bom…depois do revés do jogo de ontem contra o Internacional…

Todos falam que o São Paulo é o clube da fé…eu, como são-paulina, preciso acreditar que meu time vai conseguir reverter o resultado em casa e se classificar para mais uma final da Libertadores, e ir buscar o tetra…

Mas…da onde surgiu o apelido de “Clube da fé”?

Logo que o São Paulo Futebol Clube foi criado em 1937, após a extinção do São Paulo da Floresta (reconhecido pelas suas às glórias) e sequer chegar ao mesmo patamar de Corinthians e Palestra Itália (O Palmeiras hoje!), imagine só!

Então apareceu um jornalista que disse a seguinte frase:

“Recentemente, surgiu o São Paulo FC Júnior com as mesmas pretensões do antigo. Se o novo São Paulo veio ao mundo da bola sem os haveres, fama e prestígio dos seus antepassados, trouxe a maior das riquezas: a fé no seu destino, o amor ao seu hoje. Somente a fé poderia levar o atual Tricolor a nascer como um clube varzeano qualquer e tornar-se logo uma agremiação no caminho reto do progresso do futebol superior. O Clube da Fé, como merece ser chamado o atual São Paulo FC (…)”

Time do São Paulo em 1938 - vice campeão paulista

Nenhuma outra legenda poderia apresentar tão fielmente a trajetória do São Paulo como “Clube da Fé”. Foi por meio da fé que o clube dos pobretões (da sociedade paulistana) tornou-se, hoje, decantado mundialmente, em todos os setores. Em prosa, verso e glórias. (Agnelo di Lorenzo. Revista Oficial do São Paulo #133, 2006.)

Enfim, tudo isso pra dizer que eu tenho fé no meu time..às vezes uma derrota como essa, faz os jogadores acordarem e realmente jogarem bola.

VAMO SÃO PAULO!


Há cinco anos!

Sou são-paulina e não escondo isso de ninguém, e nunca disse que seria 100% imparcial aqui no blog! rs

Enfim, hoje escrevo de umas das datas que mais me marcaram des que me conheço por são-paulina.

A data: 14/07/2005

O lugar: Estádio Cícero Pompeu de Toledo (mais conhecido como Morumbi)

O Fato: São Paulo Tri-campeão da copa Libertadores da América

A ficha técnica da partida final:

São Paulo 4 x 0 Atlético Paranaense

Data: 14/07/2005

Juiz: Horácio Elizondo (Argentina)

Público: 71.986

Gols: Amoroso aos 16′do Primeiro Tempo; Fabão aos 7′, Luizão aos 25′e Diego Tardelli aos 45′do Segundo Tempo.

São Paulo: Rogério Ceni, Fabão, Lugano e Alex; Cicinho, Mineiro, Josué, Danilo e Júnior, depois Fábio Santos; Amoroso, depois Diego Tardelli e Luizão, depois Souza. Técnico: Paulo Autuori.

Por que essa data é tão importante?

Não só para mim, e para todos os são-paulinos é um fato histórico, O São Paulo conquistou o tricampeonato da Taça Libertadores e se tornou a primeira equipe brasileira a chegar a terceira conquista desta competição.

Eu lembro dos jogos como se fosse hoje, acontecendo agora…das vitórias sobre o Palmeiras e até contra o River Plate (temido Argentino) ganhamos.

E a final, só de lembrar daquele jogo, me emociono de novo…vendo pela televisão o morumbi lotado, lindo de ver…

Eu estava em casa – tenho algumas superstições com jogos da libertadores (no estádio ou em casa), vendo o jogo com meu pai. Gente foi lindo, quando o são paulo foi campeão e bi-campeão, eu já era são-paulina, mas foi diferente, eu era pequena, não entendia direito a importância da competição…

Depois do jogo, vendo nosso capitão levantando a taça…eu só gritava é tri…é tri!!! A vontade era de sair gritando pela rua, ligando pra todo mundo…que aquele dia o “buzinaço” nem incomodou…

Acho que esse video descreve tudo! os minutos finais do jogo, nosso capitão Rogério Ceni levantando a taça…

O São Paulo estava de novo no topo! TRI Campeão das Américas, ultrapassava o Santos de Pelé, e se tornava o maior vencedor em terra brasilis! Era o dia 14/07/2005.